Como cuidar da saúde mental dos idosos em quarentena devido ao Covid-19

Pandemia

O isolamento e distanciamento social que a pandemia do novo corona vírus trouxe mudaram a rotina e estilo de vida para muitas pessoas, inclusive dos idosos.

Nessa fase é importante trabalhar para haver uma adaptação e aceitação à nova rotina atingindo assim um enfrentamento com mais equilíbrio e tranquilidade possível.

Os idosos fazem parte do grupo de risco da pandemia, por isso ficar em casa é primordial. É importante manter o distanciamento e isolamento social, mas isto não deve ser a única preocupação do idoso ou de sua família. Devemos estar atentos e cuidar do bem-estar e da saúde mental dos idosos.

Para o cuidado da saúde mental dos idosos existem algumas orientações, tais como:

Adaptar a rotina acrescentando atividades para manter a motivação e energia, diminuindo o tédio e sensação de inutilidade; Dê tarefas para os idosos, deixe-o responsável por algo da casa;
Praticar atividade física como andar entre os cômodos da casa por um tempo determinado. Caminhar de um quarto para o outro, de uma janela para outra é importante para manter o movimento do corpo, evitar dores e sintomas de depressão e ansiedade;
Estimular a mente com jogos como jogo dos 7 erros, caça-palavras, palavras-cruzadas, jogos de cartas, tabuleiros, jardinagem, pintura e desenho.
Praticar exercícios respiratórios que ajudam a manter a calma e controlar a ansiedade, inquietação e pânico. No exercício do controle da respiração inspire contando até 3, segure o ar e expire contando até 6. Sinta o ar entrando e saindo do corpo.
Conversar com o idoso e escutar com atenção e carinho suas questões. Nesse momento falar e ser ouvido pode ajudar a se sentir melhor em relação a angústia, tristeza, medo e preocupações. Exercite a paciência!
Dica mais importante de todas: o isolamento é de contato social, mas não afetivo. Abuse de ligações, chamadas de vídeo e mensagens por aplicativos sociais para parentes e amigos.
Caso o idoso more sozinho é importante que vizinhos e/ou amigos próximos também ofereçam suporte e mantenham o contato. Nesse momento precisamos de empatia e solidariedade.

A família deve se organizar para estar sempre presente de forma segura e responsável para auxiliar o idoso em todas as suas necessidades, como compra de medicamentos, idas ao médico, compra de alimentos e até passeios com o animal de estimação do idoso.

Os encontros familiares são desaconselhados, porém devemos ser criativos para manter o contato afetivo. Algumas dicas sobre como manter o suporte afetivo são:

  1. Utilize videochamadas durante as refeições. É como se todos estivessem almoçando juntos.
  2. Peça para o idoso fotografar ou gravar suas atividades e compartilhar com a família.
  3. Elogie sempre o idoso sobre como ele está lidando com a situação. Caso o idoso tenha dificuldade em entender o que está acontecendo mostre notícias de como o isolamento está sendo importante para controlar a pandemia, provendo informação saudável e sem pânico.
  4. Compartilhe as atividades diárias da família mostrando como estão lidando com a situação, estando atentos para deixar o idoso tranquilo.

Sempre lembre o idoso que tudo isso é carinho e cuidado e que vai passar! Vai ficar tudo bem!

Autora: Caroline B. Vilela Coppes – Psicóloga | CRP 06/115074

IPECS

https://ipecs.com.br

Voltado para o ensino, pesquisa e assistência nas áreas de psicologia e educação, o IPECS – Instituto de Psicologia, Educação, Comportamento e Saúde, destaca-se no ensino da Neuropsicologia Clínica, da Psicologia Clínica com enfoque na abordagem cognitivo-comportamental e na psicologia da saúde. Nossos profissionais são altamente qualificados (livre-docentes, mestres e doutores), considerados referências nacionais em seus campos de pesquisa.

Deixe uma resposta