Como reagir as emoções de seu filho

Sempre valide as emoções apresentadas.

Nomeie o que ele está sentindo, vc pode usar o quebra-cabeça ou imagens, pra sinalizar a emoção experimentada. Enfatize que nenhuma emoção é ruim ou errada. Que às vezes, o que é ruim é aquilo que fazemos quando experimentamos a emoção. Por exemplo, todos nós sentimos medo, e sentir medo não é ruim, o problema é que fugimos daquilo que temos medo, e, às vezes, perdemos coisas legais e divertidas, pois o medo nos limita.

Tente explorar e ajuda-lo a entender o porquê da emoção. Qual foi a situação que a desencadeou.

Digam que vocês entendem o que ele está sentindo, porém, é necessário resolver.

Ajude-o a pensar em alternativas e possibilidades. E o interrogue do que mais poderia fazer ou ter feito na situação. A ideia aqui é explorar soluções diferentes pra um determinado problema. Toda criança tem um repertório limitado na solução de problemas, por isso, mais do que dar foco ao problema, precisamos focar as soluções, possibilidades e alternativas. Geralmente, ele não saberá dizer o que fazer. Vocês é que auxiliarão neste processo, fazendo-o refletir sobre possibilidades.

Usar o reforço de maneira ilimitada. Sempre associado ao bom comportamento. Sinalize quando perceber que ele teve um padrão de comportamento favorável e satisfatório, ou que ele reagiu diferente a uma situação.

IPECS

https://ipecs.com.br

Voltado para o ensino, pesquisa e assistência nas áreas de psicologia e educação, o IPECS – Instituto de Psicologia, Educação, Comportamento e Saúde, destaca-se no ensino da Neuropsicologia Clínica, da Psicologia Clínica com enfoque na abordagem cognitivo-comportamental e na psicologia da saúde. Nossos profissionais são altamente qualificados (livre-docentes, mestres e doutores), considerados referências nacionais em seus campos de pesquisa.

Deixe uma resposta