O Processo da Avaliação Psicológica

A Avaliação Psicológica teve seu inicio no século XIX, impactando e revolucionando a saúde mental. Nesta época, as primeiras propostas de uma psicologia científica internacional começaram a surgir, sendo ênfase os processos psicológicos. Trazendo para o Brasil, no inicio do Século XX, dois laboratórios mantinham ênfase na psicologia aplicada com investigação da aprendizagem e utilizando testes de desenvolvimento mental e de aprendizagem para leitura e escrita. Após, foi seguindo por implantações de laboratórios por todo território nacional e utilização de testes. Entretanto, houve uma preocupação com as pesquisas relacionadas aos mesmos com o objetivo de garantir a qualidade. Portanto, Conselho Regional de Psicologia-01, em Brasília, organizou reuniões para definir uma política para atender a área dos testes com a presença de pesquisadores de renome como Aroldo Rodrigues e Carolina Bori (Pasquali, 2016). Diante disto, foi criado o Instituto Nacional de Avaliação e Pesquisa em Psicologia (INAP) com o intuito de auxiliar nas pesquisas de cunho psicológico. E teve seu nome alterado em 2001 para Instituto Brasileiro de Avaliação Psicológica (IBAP). A principal meta destes pesquisadores era realizar estudos sistemáticos visando a construção e/ou adaptação de testes psicológicos para o país, que atendessem aos critérios científicos psicométricos de validade, precisão e normas para a população. Para tanto, você sabe o objetivo da Avaliação Psicológica?

A Avaliação Psicológica possui o objetivo de: Analisar mediante a aplicação de testes capacidade cognitiva e motora do paciente; Campos sociais, emocionais e afetivos da personalidade; Situações interpessoais e motivacionais; Atitudes, aptidões e valores. Para isso, utilizam de campos como: Diagnóstico, Intervenção, Encaminhamento, Orientação psicopedagógica e vocacional, Seleção, Prevenção e Pesquisa.

As áreas de atuação do Psicólogo da Avaliação Psicológica podem abranger Psicologia Clínica; Escolar; Organizacional; Social; Forense; Trânsito; Comunitária e entre outras. É sempre importante lembrar que a Avaliação Psicológica é formada por um conjunto, como por exemplo uma entrevista e não deve ser utilizada sozinha apenas.

 

REFERÊNCIAS – Slide Prof. Me. Pedro Junior Rodrigues Coutinho

Bueno, J. M. H., & Peixoto, E. M. (2018). Avaliação Psicológica no Brasil e no mundo. Psicologia:

Ciência e Profissão, 38, 3, 108-121

Borsa, J. C., & Segabinazi, J. D. (2017). A formação em avaliação psicológica no Brasil. In: M. R.

C, Lins., & J. C. Borsa (Ed.). Avaliação psicológica: aspectos teóricos e práticos (219-232).

Petropolis: Vozes.

Gouveia, V. V. (2018). Formação em Avaliação Psicológica: Situação, Desafios e Diretrizes.

Psicologia: Ciência e Profissão, 38, 74-86.

Primi, R. (2010). Avaliação Psicológica no Brasil: Fundamentos, Situação Atual e Direções para o

Futuro. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 26, 25-35.

Wechsler, S. M., Hutz, C. S., & Primi, R. (2019). O desenvolvimento da avaliação psicológica no

Brasil: Avanços históricos e desafios. Avaliação Psicológica, 18, 2,121-128.

IPECS

https://ipecs.com.br

Voltado para o ensino, pesquisa e assistência nas áreas de psicologia e educação, o IPECS – Instituto de Psicologia, Educação, Comportamento e Saúde, destaca-se no ensino da Neuropsicologia Clínica, da Psicologia Clínica com enfoque na abordagem cognitivo-comportamental e na psicologia da saúde. Nossos profissionais são altamente qualificados (livre-docentes, mestres e doutores), considerados referências nacionais em seus campos de pesquisa.

Deixe uma resposta