Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade e COVID-19

A pandemia da doença do corona vírus 2019 (COVID-19) está criando desafios sem precedentes em todos os níveis da sociedade. Indivíduos com distúrbios do neurodesenvolvimento, como o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), são particularmente vulneráveis à angústia causada pelas medidas de pandemia e distanciamento físico, podendo apresentar problemas comportamentais maiores.

O aumento do estresse e dos horários e rotinas alterados têm um impacto direto em nossa cognição, aumentando nossa distração e dificultando o foco e a organização. Para crianças com problemas de atenção associados ao TDAH, seus desafios diários são exacerbados e muitos de seus sistemas de suporte não são mais acessíveis.

Crianças com TDAH lutam para manter sua atenção focada e seu comportamento dentro dos limites apropriados, e isso é acentuado quando sua rotina é interrompida. Crianças com TDAH precisarão de apoio e estrutura extras para gerenciar sua atenção e comportamentos para resistir ao COVID-19 com sucesso.

Todos nós precisamos de estrutura, mas para crianças com TDAH é essencial! Crianças com TDAH tendem a ter mais dificuldade em gerenciar seu comportamento e permanecer na tarefa quando seu horário é incerto. Isso é particularmente verdade quando eles não sabem quanto tempo precisarão esperar para fazer atividades prazerosas.

A primeira coisa a dizer é que é totalmente natural que as crianças sintam uma série de emoções durante períodos de incerteza e mudança. Essas emoções podem variar como sentir raiva, tristeza, preocupação e frustração.

As crianças com TDAH podem experimentar níveis especialmente elevados de apreensão ou se preocupar com o COVID-19. Eles podem ser mais retraídos ou pegajosos, emocionalmente reativos ou ter mais problemas com tarefas diárias, como se preparar para o dia, ter problemas para dormir ou comer refeições regulares. Elas podem gostar de passar mais tempo em casa, enquanto outras podem achar as mudanças em sua rotina doméstica esmagadoras e difíceis de se adaptar.

As mudanças em torno da entrega da educação, juntamente com as distrações associadas ao estar em casa, também podem afetar negativamente sua capacidade de se envolver e completar seu trabalho escolar ao seu padrão habitual.

A crise do COVID-19 pode ser particularmente desafiadora para os adolescentes e, ainda mais, para aqueles com TDAH. Escolas e professores devem tentar monitorar todos os seus alunos, especialmente adolescentes, como um grupo prioritário, devido à sua desorganização e aumento do nível de risco. Por exemplo, eles estão participando de aulas online e estão enviando suas tarefas? Há preocupações sobre seu bem-estar social e emocional?

Algumas dicas importantes:

  1. Encoraje seus filhos a aceitarem seus sentimentos e serem gentis com eles mesmos durante esse tempo.
  2. Estabeleça uma rotina e se atenha a ela. Com base na idade do seu filho, faça-os pensar com você o que funciona melhor. Há mais comprometimento quando eles fazem parte do plano.
    Ao fazer pedidos use linguagem clara, forneça muitos elogios e modele suas expectativas.
  3. Tente ajudá-los a processar seus sentimentos ouvindo suas preocupações, validando seus sentimentos, proporcionando alguma tranquilidade e encorajando o pensamento focado na solução. Ao falar com seu filho sobre o COVID-19, faça-lhes perguntas abertas para avaliar seu nível de conhecimento e preocupações. Seja aberto e honesto em suas respostas e forneça informações apropriadas à idade de forma positiva, mas realista, usando um tom calmo e reconfortante de voz e linguagem e exemplos que eles entenderão. Tranquilizá-los de que as estratégias em vigor como lavagem de mãos, fechamentos de escolas e distanciamento social são para proteger os membros mais vulneráveis da nossa comunidade e que a coisa de um dia voltará ao normal. Você também pode ajudar seu filho a ganhar um senso de controle ensinando-o a lavar efetivamente as mãos antes de comer e depois de tocar seu rosto ou assoar o nariz.
  4. Manter a consistência e a estrutura, fazer planos que ajudem as crianças a visualizar o futuro e permitir alguma flexibilidade e tempo livre, pode ajudá-las a se sentirem calmas e seguras. Por exemplo, tente fazer com que seu filho vá para a cama e acorde ao mesmo tempo todos os dias e siga uma rotina de vida diária estruturada e/ou de estudo. Certifique-se de que eles comam uma dieta saudável como parte de sua rotina e mantenham sua ingestão de líquidos ao longo do dia.
  5. Manter rotinas de higiene (escovação de dentes, pentear cabelo, banhos, fazer a cama) semelhante ao que acontece durante o ano letivo.
  6. Identificar de horários para trabalho escolar, tarefas, brincadeiras e atividades altamente gratificantes.
  7. Estabeleça expectativas claras e regras adequadas à idade. Dê conseqüências com base em sua idade emocional em vez de sua idade real.
  8. O TDAH pode aumentar o hiper foco. Isso pode acontecer com atividades de lazer, como videogames, por exemplo. Isso também pode acontecer com o estudo, pois o limite físico entre o estudo e a casa é perdido. Algumas crianças e ou adolescentes podem se ver querendo estudar mais em casa do que em um dia típico na escola. Ter um horário ou rotina folgado e ter certeza de manter alguns limites é fundamental.
  9. Para a lição de casa, comece definindo o tempo de realização da atividade, talvez começando por 10 minutos e aumente gradualmente a quantidade de tempo. Construa sua autoestima (um problema para crianças com TDAH) começando com informações que elas já conhecem.
  10. Crianças com TDAH podem ficar ansiosas. Evite criar atritos com seu filho se eles estiverem ficando frustrados. Muitas vezes o seu relacionamento com seu filho deve ser mais importante do que o trabalho escolar.
  11. Concentre-se nos pontos fortes do seu filho. Crianças com TDAH são muitas vezes muito criativas. Toque em qual é a sua paixão (se for esporte, faça com que eles criem algo sobre isso).
    Incentivar o uso adequado das mídias sociais e monitorá-lo para que eles se mantenham conectados aos seus amigos.
  12. Brincar centrado na criança — onde você se junta e permite que seu filho dirija a brincadeira— é incrivelmente importante para as crianças, mas pode ser difícil para os pais. A brincadeira centrada na criança exige que os pais entrem no mundo de seus filhos e permitam que a criança seja a chefe. Isso significa que os pais devem se abster de fazer sugestões sobre quais atividades você poderia fazer e de aconselhar as crianças sobre melhores maneiras de fazer as coisas. Lembre-se, você está escolhendo se divertir do jeito deles (mesmo quando não faz sentido).
  13. Em resumo, o COVID-19 e as medidas de distanciamento físico relacionadas estão apresentando muitos desafios para crianças, jovens e suas famílias, e esses desafios provavelmente serão consideravelmente maiores para aqueles com TDAH. Por isso, será importante recorrer às estratégias rotineiramente recomendadas nas intervenções de TDAH focadas nos pais, bem como nas intervenções de bem-estar mental para crianças e jovens.

Referencia:

www.rcpsych.ac.uk/docs/default-source/members/sigs/private-and-independent-practice-pipsig/pipsig-telepsychiatry-guidelines-revised-mar16.pdf. Date accessed: April 13, 2020

IPECS

https://ipecs.com.br

Voltado para o ensino, pesquisa e assistência nas áreas de psicologia e educação, o IPECS – Instituto de Psicologia, Educação, Comportamento e Saúde, destaca-se no ensino da Neuropsicologia Clínica, da Psicologia Clínica com enfoque na abordagem cognitivo-comportamental e na psicologia da saúde. Nossos profissionais são altamente qualificados (livre-docentes, mestres e doutores), considerados referências nacionais em seus campos de pesquisa.

Deixe uma resposta